PRODUÇÃO ACADÊMICA Repositório Acadêmico da Graduação (RAG) TCC Enfermagem
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.pucgoias.edu.br/jspui/handle/123456789/1180
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Título: DISTRIBUIÇÃO TEMPORAL DAS NOTIFICAÇÕES DA SÍFILIS GESTACIONAL NAS CAPITAIS BRASILEIRAS
Autor(es): Eduarda Lorraine Faria Silva, Marco Antônio Bento de Assis
Primeiro Orientador: Silvio José de Queiroz
metadata.dc.contributor.referee1: Kenia Alessandra Araújo Celestino
metadata.dc.contributor.referee2: Andreia Gontijo da Silva Souza
Resumo: OBJETIVO: Descrever a distribuição temporal das notificações da sífilis gestacional nas capitais brasileiras, no período de 2009 a 2018. MÉTODO: Trata-se de um estudo descritivo, retrospectivo, com enfoque quantitativo e epidemiológico, construído a partir da disposição de dados secundários. Foram incluídos todos os casos de sífilis gestacional notificados nas capitais brasileiras, no período de 2009 a 2018. Para o levantamento dos dados foram acessados de modo online no sítio do “Painel de indicadores e Dados básicos da sífilis nos municípios brasileiros”, disponibilizado pelo Ministério da Saúde. Foram incluídas as variáveis sociodemográficas e os fatores epidemiológicos e excluídos os casos de duplicidade e não residentes no Brasil. A exposição descritiva foi realizada pela distribuição espaço-temporal, analisando a periodicidade de casos nos dez anos do estudo e pela frequência absoluta e relativa das variáveis e fatores selecionados, realizando o cálculo da porcentagem. RESULTADOS: Foi evidenciado que as capitais São Paulo, Rio de Janeiro e Manaus obtiveram o maior número de notificações de sífilis em gestante no Brasil. As maiores taxas de detecção de sífilis gestacional ocorreram nas capitais Rio de Janeiro, Campo Grande e Rio Branco. Observou-se ainda maior ocorrência de casos entre as mulheres pardas, na faixa etária de 20 a 39 anos e com baixo nível de escolaridade pelo predomínio do ensino fundamental. Relacionado aos fatores epidemiológicos, ficou evidente que a maioria das gestantes foram diagnosticadas com sífilis no primeiro trimestre de gestação. Acerca da classificação clínica a maioria foi notificada como sífilis latente. CONCLUSÃO: Este estudo contribui para o conhecimento da caracterização dessa morbidade e oferece uma compreensão abrangente sobre o tema. Embora a sífilis seja uma patologia conhecida há séculos e que tenha agente etiológico bem definido, de fácil detecção e tratamento de baixo custo e eficaz, ainda é considerada um grave problema de saúde pública.
Palavras-chave: Saúde coletiva
Promoção da saúde
CNPq: Promoção da saúde
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Pontifícia Universidade Católica de Goiás
Sigla da Instituição: PUC Goiás
metadata.dc.publisher.department: Escola de Ciências Sociais e da Saúde
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.pucgoias.edu.br/jspui/handle/123456789/1180
Data do documento: 9-Out-2020
Aparece nas coleções:TCC Enfermagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MARCO ANTONIO E EDUARDA.docx445,36 kBMicrosoft Word XMLVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.

Ferramentas do administrador