PRODUÇÃO ACADÊMICA Repositório Acadêmico da Graduação (RAG) TCC Fisioterapia
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.pucgoias.edu.br/jspui/handle/123456789/2631
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Título: Influência da posição prono na troca gasosa em pacientes com COVID-19
Autor(es): Barbosa, Matheus Gonçalves
Primeiro Orientador: Oliveira, Valéria Rodrigues Costa de
metadata.dc.contributor.referee1: Morais, Elizabeth Rodrigues de
metadata.dc.contributor.referee2: Utida, Victor Hugo de Sousa
Resumo: Introdução: A posição prona, que consiste em posicionar o paciente em decúbito ventral, é uma terapia adjuvante postural empregada nos pacientes com síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA), que tem sido amplamente usada para tratar a insuficiência respiratória causada pela pneumonia por SARS-CoV-2 severa. O posicionamento melhora as condições dos pacientes que apresentam comprometimento do recrutamento nas regiões pulmonares dorsais, aumentando o volume pulmonar expiratório final e o componente elástico da parede torácica, diminuindo o shunt alveolar e melhorando o volume corrente Objetivos: traçar o perfil da população que evoluiu com insuficiência respiratória por COVID-19, analisar os efeitos do posicionamento em prono na troca gasosa, o tempo de pronação que esses pacientes permaneceram e avaliar os seus desfechos. Resultados: A amostra de 55 caracterizou-se por maioria e do sexo masculino (56,4%), procedente de Goiânia (74,5%) e o principal desfecho (94,5%) foi o óbito. Dentre as comorbidades, a mais prevalente foi Hipertensão arterial sistêmica (HAS) (45,5%). Foram realizados 89 posicionamentos em prono ao todo, que apresentou uma melhora na relação PaO2/FiO2, sua comparação com a SDRA, grave, moderada e leve em pré e pós prono. Em relação à mortalidade, os resultados nos mostram uma alta taxa (94,5%), mesmo considerando que a pronação trouxe respostas significativas na melhora na PO2 de 52,55 para 91,23 mmHg e SaO2 de 82,19 para 90,73 %. Dentre os resultados, obtivemos que essa relação apresentou uma melhora significativa um p <0,01 em SDRA grave e de p 0,02 em SDRA moderada. Conclusão: Dos 55 pacientes, a maioria era de idosos, do sexo masculino, portadores de HAS; todos estavam infectados por COVID-19 e em VM quando submetidos a prono, houve melhora na troca gasosa, apresentando um tempo de pronação médio 18,89 horas, sendo que 52 dos pacientes ou seja 94,5% evoluíram a óbito, porém mais estudos deveram ser feitos, em relação ao tema.
Palavras-chave: Pronação
Covid-19
Mortalidade
Oxigenação
Síndrome do desconforto respiratório
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Pontifícia Universidade Católica de Goiás
Sigla da Instituição: PUC Goiás
metadata.dc.publisher.department: Escola de Ciências Sociais e da Saúde
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.pucgoias.edu.br/jspui/handle/123456789/2631
Data do documento: 9-Dez-2021
Aparece nas coleções:TCC Fisioterapia

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
TCC matheus_gonçalves_barbosa.pdf323,1 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.

Ferramentas do administrador