PRODUÇÃO ACADÊMICA Repositório Acadêmico da Graduação (RAG) TCC Enfermagem
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.pucgoias.edu.br/jspui/handle/123456789/181
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Título: Perfil epidemiológico e clínico dos casos de hepatite C em um serviço de assistência especializada da região metropolitana de Goiânia
Autor(es): Batista, Edinele
Veloso, Neurilene
Primeiro Orientador: Vila, Vanessa
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Marques, Lorena
metadata.dc.contributor.referee1: Paulie, Santos
metadata.dc.contributor.referee2: Deus, Ana Paula
Resumo: Estudo transversal retrospectivo que analisou os registros de informações sociodemográficas e clínicas de pessoas com diagnóstico de hepatite C, atendidas em um serviço de assistência especializada da região metropolitana de Goiânia. Os dados coletados no decorrer temporal de janeiro a dezembro de 2019. Foram incluídos pacientes de ambos os sexos; com diagnóstico confirmado de Hepatite C (Anti-HCV reagente e HCV-RNA com carga viral detectável). Foram excluídos os prontuários de pacientes coinfectados com Hepatite B e HIV. Dos 119 prontuários, a maioria era do sexo masculino (54,62%), pardos (52,10%), com a média da idade de 55,4 anos (DP± 11,6). Observou-se que para as variáveis raça, estado civil e escolaridade, a respectiva proporção de dados não informados de 11,76%, 4,20% e 30,25%. Quanto aos hábitos de vida, (15,13%) eram usuários de drogas injetáveis, (37,82%) faziam uso de bebidas alcoólicas e (31,93%) tabagistas. Quanto a prática de exercício físico, 19,33% declararam não realizar. A média do tempo de diagnóstico foi de 3,68 anos (DP± 2,23). Quanto a fonte de infecção, 40,38% foram contaminados com material cortante contaminado e 35,58% por transfusão sanguínea. Verificou-se que 86,96% dos casos apresentavam o genótipo 1, 21,85% eram portadores de diabetes mellitus, 29,41% de hipertensão. Verificou-se que 24,37% dos pacientes apresentavam alguma complicação hepática. Quanto ao percentual de pacientes vacinados contra hepatite B, 40,34% não eram vacinados. Com relação ao marcador sorológico Anti-HBs, somente 41,18% possuíam o marcador de imunidade contra hepatite B. Para essas variáveis a proporção de dados não informados corresponderam a 59,66% e 12,61%. O estudo identificou aspectos sociodemográficos e clínicos. O conhecimento dessas características poderá contribuir para o planejamento de ações de assistência individualizada, focando nas necessidades específicas de pessoas acometidas pelo agravo. Além disso a necessidade de avanços para a conformidade no registro em prontuário das informações clínicas.
Palavras-chave: Hepatite C
Epidemiologia
Enfermagem
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEM
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Pontifícia Universidade Católica de Goiás
Sigla da Instituição: PUC Goiás
metadata.dc.publisher.department: Escola de Ciências Sociais e da Saúde
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.pucgoias.edu.br/jspui/handle/123456789/181
Data do documento: 26-Out-2020
Aparece nas coleções:TCC Enfermagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
PERFIL EPIDEMIOLÓGICO E CLÍNICO DOS CASOS DE HEPATITE C.pdf3,21 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.

Ferramentas do administrador