PRODUÇÃO ACADÊMICA Repositório Acadêmico da Graduação (RAG) TCC Enfermagem
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.pucgoias.edu.br/jspui/handle/123456789/1249
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.date.accessioned2020-12-19T18:51:44Z-
dc.date.available2020-12-19T18:51:44Z-
dc.date.issued2020-10-15-
dc.identifier.urihttps://repositorio.pucgoias.edu.br/jspui/handle/123456789/1249-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherPontifícia Universidade Católica de Goiáspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectIdosospt_BR
dc.subjectViolênciapt_BR
dc.subjectelderlypt_BR
dc.subjectviolencept_BR
dc.titleViolência contra a pessoa idosa: análise das notificações realizadas no setor de saúde - Goiâniapt_BR
dc.typeTrabalho de Conclusão de Cursopt_BR
dc.contributor.advisor1Butrico, Gabriela-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9131123593597138pt_BR
dc.contributor.referee1Loreto, Rayana-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/4940344652520125pt_BR
dc.contributor.referee2Mendonça, Lívia-
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/3377539574421633pt_BR
dc.description.resumoIntrodução. O envelhecimento pode ser compreendido como um processo dinâmico, progressivo e individual que abrange alterações de caráter morfológico, funcional, bioquímico e psicológico, com modificações no papel social, renda, independência e estrutura anatômica. Faz parte do processo natural da vida humana a qual o indivíduo pertence, sendo essas transformações a base do envelhecer (LANA; SCHNEIDER, 2014). Diante do processo de envelhecimento da população, Oliveira et al. (2018) afirma que os idosos se tornam mais fragilizados e susceptíveis à violência na medida em que necessitam de maiores cuidados físicos ou apresentam dependência física ou mental. Dessa forma, quanto maior a dependência, maior o grau de vulnerabilidade e consequentemente maior índice de violência. O termo violência abrange diversos tipos e fatores que podem se fazer presentes na vida cotidiana de qualquer indivíduo, podendo ser abordado como: abuso físico, psicológico, sexual, financeiro e econômico e abandono (SOUZA; MINAYO, 2010). Os atos de violência praticadas contra a população idosa, ocorrem de diversas formas e em diferentes situações, mediante ações ou omissões realizadas uma única vez ou muitas vezes, ocasionando prejuízo a condição física, emocional e social desse indivíduo, tanto no ambiente intrafamiliar ou extrafamiliar (PEREIRA et al., 2019). A partir da escassez de estudos acerca das características das agressões e dos agressores na violência contra pessoas idosas no Município de Goiânia, o estudo em questão se faz necessário como forma de aprofundamento e pesquisa de dados referentes a essa temática e o perfil dos envolvidos. OBJETIVO. Descrever as notificações de violência contra o idoso no município de Goiânia, a partir das notificações do DATASUS, no período de 2009 a 2018. MÉTODO. Trata-se de um estudo descritivo, retrospectivo realizado com dados obtidos no Sistema de Informação de Agravos de Notificação - versão Net (Sinan Net) abrangendo as notificações de violência doméstica, sexual e/ou outras violências na população de idosos (> 60 anos) durante o período de 2009 a 2018, no município de Goiânia, Goiás. Os critérios de exclusão foram: Notificações incompletas ou indeterminadas e dados anteriores a 2008. Os dados foram captados por meio da Ficha de notificação/investigação individual de violência doméstica, sexual e/ou outras violências, que contém variáveis sobre: vítima/pessoa atendida, ocorrência, tipologia da violência, consequências da violência, lesão, provável agressor, evolução e encaminhamentos. As notificações de violência contra idosos foram analisadas segundo: características demográficas das vítimas (sexo, idade, raça/cor da pele, escolaridade, situação conjugal, presença de deficiência ou transtorno); características da ocorrência (local, violência de repetição, natureza da lesão, parte do corpo atingida, evolução); tipo de violência e meio de agressão. Os registros foram importados do Sinan Net e as análises estatísticas descritiva foi realizada. Foram registradas 577 notificações de violência contra idosos nos estabelecimentos notificadores do Sinan Net no período de 2009 a 2018. Entre agosto e setembro de 2020 foram analisados dados coletados do DataSUS no período de 2009 à 2018 de acordo com os filtros selecionados no sistema. Dessa forma foi possível evidenciar fatores crusciais acerca da violência contra a pessoa idosa e assim descrever as evidências encontradas.Do total de casos notificados, 53,8 % referiam-se a vítimas do sexo masculino e 46,2% referiam-se a vítimas do sexo feminino. Diante da análise dos dados observou-se a prevalência de violência em idosos de etnia parda em comparação com as demais, dessa forma se faz necessário ressaltar que 36% dos idosos declararam-se brancos; 10,6% se declararam pretos; 1,4% se declararam amarelos; 35,4% se declararam pardos, e 16,4% ignorado ou em branco. Quanto à escolaridade, 268 indivíduos apresentaram-se Ign/ Branco (46,85%),36 eram analfabetos (6,29%), 118 possuíam da 1° à 4° série incompleta (20,62%), 22 tinham a 4° série completa (3,84), 46 possuíam do 5° a 8° série incompleta (8,04%), apenas 14 tinham o ensino fundamental completo (2,44%), 16 possuíam ensino médio incompleto (2,79%), 28 com ensino médio completo (4,89%), 04 possuíam educação superior incompleta (0,69%) e 20 educação superior completa apresentando (3,49%). Os dados de violência doméstica dentre outras no estado de Goiás são expostos na tabela a seguir, onde representam o número de ocorrência por sexo no período de estudo estabelecido de 2009 a 2018. De acordo com a análise dos dados os tipos de violência mais relatados foram: Violência Física com (55%), Violência Negligência/ Abandono (37,95%), Violência Psico/Moral (23,22%) e menor proporção de SIM a Violência Financeira (6,93%) e Violência Sexual com (4,33%). Ao analisar apenas a violência sexual pode-se observar que a mesma ocorreu com maior frequência nos anos de 2010 com 4 registros, 2014 apresentou 4 registros, 2016 com 4 registros e 2018 contemplando 25 ocorrências em Goiânia-Goiás. Vale destacar que o número de registros com a opção “ignorado” se fez evidente entre os anos com maior ênfase em 2018 com 22 notificações. Em relação a violência financeira e/ ou econômica pode-se evidenciar através dos dados uma maior ocorrência nos anos de 2010 que contemplou 5 registros, 2013 com 8 registros, 2014 com 8 notificações, 2017 com 6 arquivos e 2018 com um aumento gradativo de 40 registros. Os casos que se apresentam em “ignorado” foram prevalentes em 2018 com 30 casos. Diante da observação dos dados acerca da Violência Negligência/ Abandono foi notório o prevalecimento desses atos nos anos de 2010 com 17 casos registrados, 2011 com 15 casos, 2012 com 23, 2013 com 32 registros, 2014 com 40, 2015 com 24, 2016 contemplou 24 casos, 2017 com 39 casos e 2018 com 219 notificações, 2009 foi ano que menos ocorreram esses fatos, apresentando 5 casos. No item “ignorados” evidenciou-se em 2018 um aumento de 30 registros em comparação com os anos anteriores. Já a Violência Psicológica/ Moral apresentou taxas contínuas de casos registrados entre os anos, em 2009 houve 13 casos, em 2010 com 14, em 2011 com 13 casos, em 2014 com 13 notificações, em 2016 com 9, em 2017 com 17 casos e em 2018 com 134 casos notificados. Os casos ignorados apresentaram uma taxa elevada em 2018 com 29 casos. Em uma análise geral dos dados, podemos observar que a maioria dos pacientes sofreram alguma violência do tipo Física e em segundo lugar Negligência e/ou abandono em comparação com as demais agressões no período vigente. CONCLUSÃO. A partir dos resultados apresentados neste estudo, conclui-se que a forma de violência prevalente na pessoa idosa foi a violência física, acometendo em maior quantidade o sexo masculino, em indivíduos autodeclarados brancos e com escolaridade referente a ensino fundamental I incompleto. Mesmo com necessidade de aprimoramento, os dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação geram informações que contribuem para avançar na capacitação dos profissionais de saúde, consolidação e melhoria das redes de apoio às vítimas, monitoramento e prevenção dos casos de violência contra idosos. Para dimensionar a real magnitude do problema da violência contra os idosos no Brasil, faz-se necessário intensificar as notificações por meio da educação, autonomia e direitos da pessoa idosa.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentEscola de Ciências Sociais e da Saúdept_BR
dc.publisher.initialsPUC Goiáspt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEM::ENFERMAGEM MEDICO-CIRURGICApt_BR
Aparece nas coleções:TCC Enfermagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TCC III - Dani e Jessica FINAL.pdfTCC III - Dani e Jéssica Final262,87 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.

Ferramentas do administrador